sábado

Película

Olha quem chegou por aqui! :D


Dia Estrelado: Animadores

Quero falar um pouco sobre as etapas agora, devagarinho. Começando pelos animadores.
Comecei animando sozinha no filme, e tinha o Diego Mascaro como assistente... Ele trabalhou  por 2 anos com a gente, primeiro, na equipe de arte, construindo as maquetes e bonecos (aliás, trabalho incrível o dele)...  e depois como assistente de animação, nos primeiros meses de filmagem. Nessa época, éramos os dois no estúdio. Marcelo, o fotógrafo, vinha montar a luz do plano e ia embora... E quando acabávamos de animar, ele voltava p/ montar a próxima cena.
Depois, no final das filmagens, em janeiro de 2011, Diego voltou para a animar o pôr-do-sol com a gente. O céu, todo construído de grossas camadas de massa de modelar,  tinha 7 metros de extensão por 2 de altura. Ao todo, 4 pessoas animaram (Diego, Maurício, Renata e eu), intensamente, 12 horas por dia durante 3 dias (para 20 segundos de animação).  (esse processo do céu ainda vai ganhar um outro post mais p/ frente)

Bom, em janeiro de 2010, o Fábio Yamaji, animador incrível de São Paulo, veio me ajudar a animar... Passou 1 mês em Recife, ele animando numa maquete, eu em outra. A participação do Fábio foi super importante pro filme. Quando terminei de escrever o projeto e que conseguimos apoio da prefeitura do Recife, fui logo entrando em contato com ele, pedindo ajuda, dicas e coisa e tal. Até então eu não o conhecia, só por e-mail mesmo. Acabei indo pro SP fazer um workshop com ele e bater um papo (isso em 2007 ainda). Foi ótimo. Quando Fábio veio animar, acabei passando pra ele basicamente planos de caminhada. O personagem principal (Negão) anda muiiiiito no filme, e várias coisas dificultavam a animação. Por escolha estética minha, queria o boneco com as perninhas curtas, sem joelho... E queria que eles fossem feitos de massa de modelar (sim, queria ver as impressões digitais mesmo, não queria usar látex ou qq coisa parecida - mas usamos uma massinha especial, a Newplast).
Enfim, Fábio acabou voltando depois para passar mais 20 dias, um ano depois, na época em que estávamos no maior gás, unindo todas as forças para terminar. Tínhamos acabado de passar um super sufoco, o estúdio tinha sido roubado, levaram todos os nossos equipamentos de trabalho. E aí chamamos o  reforço geral.

Legal falar da parceiria do Tiago Mal, da Rocambole (de São Carlos)...  Deixamos todos os planos com movimento de câmera para o final. Entrei em contato com o Tiago e ele foi super legal, topou construir um travelling de acordo com as necessidades do filme. O cara é maluco, constrói tudo, domina mesmo! Ficou perfeito... Foi levar em Recife, e passou uma semana nos dando força no estúdio. Para quem não tem muito contato com animação, em stop motion, todos os movimentos de câmera também tem que ser feitos frame a frame, durante a captação. Ou seja, mexe o boneco, mexe a câmera, tira a foto...


Voltando para 2010 agora. Depois do Fábio vir a primeira vez, e antes de acontecer o roubo (fim de 2010), o Maurício Nunes foi animar no filme. Ele passou 8 meses por lá, até os últimos dias filmagem. Maurício tinha uma ótima experiência com animação 2D, mas não tinha tido muito contato com stop motion. Acabamos fazendo umas experiências e ele simplesmente arrebentou geral. Se garantiu demais! Foi muito massa trabalhar com ele, a contribuição que ele deu pro filme foi absurda! Sem mais.
Renata Claus também participou em duas etapas diferentes. Ela tinha trabalhado na equipe de arte, no início do projeto. Foi daquelas que entrou com todo o gás, colaborando em todos os sentidos. Quando voltou, ficou, no início, fazendo assistência de animação e recuperando cenários e bonecos (eles se desgastam com muita facilidade)... Mas assim que o Fábio voltou p/ São Paulo ela começou a animar, e foi ótimo! Perfeccionista que só ...  exigente também! Eu falava que a cena tava ótima e ela custava a acreditar. 

E agora uma colaboração do Ceará... Conheci o Diego Akel numa rápida passagem pelo Anima Mundi, em 2010.  O cara é super simpático, não tem como não ir com a cara dele! Ali, passei a conhecer seu trabalho. Akel tem um tipo de animação muito diferente do que costumamos a ver no Brasil, ele explora formas abstratas de maneira bem especial. Bom, fiquei encucada com o trabalho dele e já tava martelando possíveis parcerias. Voltando para a filmagem, percebi que seria ótimo poder tê-lo como parte da equipe de animadores para animar o pôr-do-sol. Infelizmente, as datas acabaram não batendo. Mas logo arranjei uma outra função p/ ele: além do pôr-do-sol, tinha uma outra animação do céu, um delírio, onde as formas iniciais do céu se transformavam em coisas abstratas. Construímos o céu em miniatura e mandamos p/ ele lá em Fortaleza.. Passei as orientações e, pimba! tiro na mosca! Adorei o resultado final. Uma parceria que já vem se extendendo em outros projetos.
 E eu! :]